Controle de Qualidade de Leites UHT Comercializados em Vitória, Espirito Santo

Breno Cardozo Guimarães, Karolline Venturini, Marcela Segatto

Resumo


O leite é uma importante fonte alimentar, possuindo em sua composição nutrientes essenciais como cálcio, proteínas, vitaminas A, B1, B2 e vários outros minerais. Devido ao seu alto valor nutricional, a ingestão regular de leite traz vários benefícios à saúde humana como contribuição ao desenvolvimento e manutenção óssea e dos demais tecidos do corpo, além da reposição de vitaminas e minerais indispensáveis ao bom funcionamento geral do organismo. Visando a segurança do consumidor, o controle de qualidade desse alimento deve estar presente em todos os processos, desde a obtenção higiênica do leite no campo, a produção do leite ou derivado lácteo, até sua estocagem e distribuição. Este trabalho teve como objetivo analisar leites UHT de diferentes marcas comercializados no município de Vitória, no estado do Espírito Santo, por meio de análises físico-químicas (composição centesimal e pesquisa de aditivos) e análises organolépticas (cor, aspecto, aroma, consistência e sabor). Os resultados obtidos nos testes foram comparados com as determinações estabelecidas pelo Ministério da Agricultura e Pecuária e Abastecimento e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Para as três marcas de leite avaliadas, nenhum dos aditivos pesquisados foi detectado, e resultados satisfatórios foram obtidos em quase todos os testes físico-químicos. Já nos testes de determinação de glicídios redutores em lactose, determinação de acidez em ácido lático, resíduo mineral fixo e extrato seco total, os valores encontrados não estavam de acordo com os valores de referência da legislação. Alguns motivos para as alterações detectadas são discutidos neste trabalho.

 

Palavras-chave: Controle de qualidade; Leite; Adulterações; Análises físico-químicas; Legislação.

 

Quality Control of UHT Milk Commercialized in Vitória, Espirito Santo

 

 

 

 

Abstract

 

Milk is an important food source, having in its composition essential nutrients like calcium, proteins, vitamins A, B1, B2 and several other minerals. Due to its high nutritional value, the regular intake of milk brings several benefits to human health as a contribution to the development and maintenance of bone and other tissues of the body, as well as the replacement of vitamins and minerals essentials for the body machinery network. Aiming at consumer safety, the quality control of this food must be present in all processes from the hygienic production of the milk in the field until its storage and distribution. The objective of this work was to analyze UHT milks of different brands marketed in the city of Vitoria, Spirit Santo state, through physicochemical analyzes (centesimal composition and research of additives) and organoleptic analyzes (color, appearance, aroma, consistency and flavor). The results obtained in the tests were compared with the determinations established by the Ministry of Agriculture (MAPA) and by the National Sanitary Agency - ANVISA. For the three brands of milk evaluated none of the additives was detected and satisfactory results were obtained in almost all physical-chemical tests. In the tests for the determination of lactose reducing sugars, determination of acidity in lactic acid, fixed mineral residue and total dry extract, the values found were not in accordance with the reference values of the legislation. Some reasons for the detected changes are discussed in the text.

 

Keywords:  quality control; milk; adulterations; physicochemical analysis; legislation.


Texto completo:

PDF

Referências


ADRIANO, J. C et al. Métodos para identificação de formol no leite integral UHT (Ultrapasteurizado) correlacionados. Revista Eletrônica Multidisciplinar FACEAR, ano 6, 2017.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação da densidade em leite fluido com uso do termolactodensímetro. Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul, 2013a.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação de acidez titulável em leite fluido. Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013b.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação do extrato seco total e desengordurado em leite fluido por método gravimétrico. Método de ensaio de produto de origem animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013c.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação de glicídios redutores em lactose pelo Método de Lane-Eynon em Leite. Método de ensaio de produto de origem animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013d.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação qualitativa de amido em produtos lácteos. Método de ensaio de produto de origem animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013e.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação qualitativa de sacarose em produtos lácteos. Método de ensaio de produto de origem animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013f.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Pesquisa de peróxido de hidrogênio em leite fluido pelo método de Guaiacol; Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul, Junho de 2013g.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Pesquisa de formaldeído em leite. Método de ensaio de produto de origem animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013h.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N.. Pesquisa de peroxidase em leite fluido, Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013i.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. N. Determinação do extrato seco total e extrato seco desengordurado em Leite fluido por método gravimétrico; Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul, 2013j.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. Pesquisa de fosfatase alcalina em leite fluido por colorimetria. Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2013k.

ANDRADE, R. B; OLIVEIRA, T. C. DE; KICH, J. Determinação do resíduo mineral fixo em leite e derivados lácteos. Método de Ensaio de Produto de Origem Animal (METPOA), Rio Grande do Sul. 2014.

BRASIL, 2011. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução normativa Nº 51, de 18 de setembro de 2002. Departamento de Inspeção de Produto de Origem Animal. Brasília, 2002. Diário Oficial da União, Brasília.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução normativa Nº 62, de 29 de dezembro de 2011. Departamento de Inspeção de Produto de Origem Animal. Brasília. Diário Oficial da União, Brasília. 2011.

BRASIL. Ministério da Agricultura, pecuária e abastecimento. Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Leite UHT (uat). Portaria n 370.de 04 de Setembro de 1997. Diário Oficial da União, Brasília. 1997.

BRASIL. Ministério da Agricultura, pecuária e abastecimento. Regulamento da Inspeção Sanitária e Industrial Para Leite e Derivados. Resolução n 065 de 2005. Diario oficial da União, Brasília. 2005.

BRASIL. Ministério da Agricultura, pecuária e abastecimento. REGULAMENTO TÉCNICO DE IDENTIDADE E QUALIDADE DE BEBIDA LÁCTEA Instrução Normativa Nº 16 de 23 de agosto de 2005. Departamento de Inspeção de Produto de Origem Animal. Brasília, 2005. Diário Oficial da União, Brasília. 2005. BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Anvisa avalia risco da presença de formol e ureia no leite. Brasília. 2013.

BRITO, M. A.et al. Composição. Agência de Informação EMBRAPA, Agronegócio do leite. 2017a.

BRITO, M. A et al. Densidade relativa. Agencia de Informação EMBRAPA, Agronegócio do leite. 2017b.

CARVALHO, L. A. et al. Importância econômica. Embrapa. 2017.

DUTRA, J. E. O.; MARCHINI, J. S. Ciências nutricionais: Aprendendo a Aprender. 2. ed. São Paulo: Savier, 2008, 760p.

FELLOWS, P. J. Tecnologia do processamento de alimentos: Princípios e práticas. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006, 602p.

FERNANDES, V. G; MARICATO, E. Análises físico-químicas de amostras de leite cru de um laticínio em Bicas, MG, Rev. Inst. Latic. Cândido Tostes: n. 375, 65, 3:10. Jul/Ago, 2010.

MENDES, C. G.; SILVA, J. B. A.; ABRANTES, M. R. Caracterização organoléptica, físico-química e microbiológica do leite de cabra: uma revisão. Acta Veterinária Brasileia, v.3, n.1, p.5-12. 2009

PALUDO, G. B.; COELHO, K. O. Analise sensorial do leite UHT em grupo: Avaliar a qualidade e a vida de prateleira no setor de lácteos. Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, v.10, n.18; p. 2014.

SILVA, O. H.; AGUIAR, C. E. G.; ROSSI, G. A. M.; VIDAL, A. M. C.. Adulteração do leite com adição de água por fornecedores de um laticínio do município de Conceição do Araguaia, estado do Pará, Brasil. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 14, n. 3. 2016.

SOARES, F. A. C. Composição do leite: Fatores que Alteram a Qualidade Química. Pós-Graduação em Ciências Veterinárias Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul, 2013. 7p.

VALSECHI, O. A. 2001. Leite e seus derivados. Universidade Federal de São Carolos, Centro de Ciências Agrarias. São Paulo: Araras. 2011, 35p.

WESCHENFELDER, et al. Avaliação da rotulagem nutricional e das características físico-químicas e microbiológicas de leite pasteurizado e leite UHT. Indústr. Anim., Nova Odessa, v.73, n.1 p.32-38, 2016.

ZENEBOM, O.; PASCUET N. S.; TIGLEA, P. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4. ed. 1ª edição digital São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, p. 1020, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Multi-Science Research

Journal Multi-Science Research (MSR). e-ISSN: 2595-6590

Rua José Alves, nº 135, Goiabeiras, Vitória, ES (Brasil). CEP: 29.075.080.